Grupo destra realiza o planejamento estratégico inédito em goiás

As indústrias que integram o Arranjo Produtivo Local – APL de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos - HPPC de Aparecida de Goiânia podem pleitear recursos do Programa de Fomento à Pesquisa e Inovação Tecnológica – Pappe-Integração para desenvolver projetos de inovação tecnológica. A afirmação é do secretário da Ciência e Tecnologia, Mauro Faiad, feita durante a abertura do encontro das empresas do setor, que foi realizado no auditório da Secretaria da Indústria e Comércio – SIC e prosseguiu até o último dia 8 de julho. Também participou da abertura a superintendente executiva da SIC, Andrea Vecci.

Conforme Mauro Faiad, os APLs são hoje importantes instrumentos para estimular o crescimento de um grupo de empresas reunidas em um mesmo espaço físico. A Sectec pode apoiar o APL de HPPC de Aparecida qualificando a mão de obra e incentivando a inovação tecnológica, disse o secretário. “Hoje é inconcebível você imaginar uma empresa que se mantenha competitiva no mercado sem uma base tecnológica profunda”, afirmou. Ele lembrou que ontem foi lançado o Pape Integração, com recursos da ordem de R$ 18 milhões direcionado a setores estratégicos, entre eles o de cosméticos.

Fortalecer
O secretário da Indústria, Comércio, Trabalho e Tecnologia de Aparecida - SICTT, Marcos Bernardo Campo, ressaltou que o objetivo da reunião é fortalecer a cadeia de cosméticos, perfumaria e higiene pessoal do município, que representa 80% das indústrias do setor em Goiás e gera cerca de 5 mil empregos diretos. “Queremos unir forças para efetuar as compras, evitar dumping, melhorar a qualidade dos produtos e a logística de distribuição, de forma a enfrentar a concorrência”, afirmou.

Segundo a coordenadora da área de Ciência e Tecnologia da SICTT de Aparecida, Millena Araújo, o APL foi constituído em 2010 e está ganhando corpo. Foi elaborado um diagnóstico do setor em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - ABDI, Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos - Abiphec, Sebrae Nacional e apoio local do Sindiquímica e o Governo do Estado. Nesse diagnóstico foram constatadas as necessidades do setor, como a falta de um laboratório de análise no Estado para a realização de exames para certificações da Anvisa e do Inmetro, e ainda dificuldades para exportar.

O proprietário da Toolon Indústria e Comércio de Cosméticos, Jair José Alcântara, informou que sua empresa opera há 21 anos em Aparecida de Goiânia, tem nove funcionários e produz a linha profissional para tratamentos capilares. Ele admitiu que exportar é difícil. “Falta incentivo”, disse. Com o APL o empresário acredita que haverá apoio para inovação tecnológica, equipamento e logística. Para o diretor executivo da Natucharm Cosméticos, Cláudio Almeida, o setor pode avançar com a consolidação do APL. A empresa tem 17 anos, 48 funcionários e produz mais de 300 itens da linha de cosméticos. Atua em dois segmentos de venda: no sistema porta a porta e por meio de distribuidoras, que somam de 1,2 mil em todo o País.